Edificando sobre a Rocha

29/06/2012 17:16

“EDIFICANDO NOSSA FAMÍLIA SOBRE A ROCHA”

Mat.7:24 Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as pratica será comparado a um homem prudente que edificou a sua casa sobre a rocha;  25 e caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, que não caiu, porque fora edificada sobre a rocha.

26 E todo aquele que ouve estas minhas palavras e não as pratica será comparado a um homem insensato que edificou a sua casa sobre a areia;  27 e caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, e ela desabou, sendo grande a sua ruína.” (Mateus 7:24-27 RA).

Sal 127: 1 SE o SENHOR não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam; se o SENHOR não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela. No Salmo 127, Salomão ensina que: “A satisfação na vida familiar depende da proteção e da provisão ofertadas por Deus”.

1.  Introdução

Quando estudamos as famílias bíblicas, observamos que muitas delas enfrentaram crises gravíssimas.

A primeira família na Bíblia a enfrentar uma grande crise foi a de Adão. A crise surgiu entre os seus filhos. Caim começou a encher o seu coração com ciúme e inveja. Ciúme e inveja são sentimentos profundamente destrutivos. Na família de Jacó houve um serio problema de relacionamento entre os seus filhos. José era objeto de ciúme e inveja. Seus irmãos rejeitavam os seus sonhos e se revoltavam contra o pai, por este ter preferência por José. E mais tarde o venderam como escravo para o Egito.

Na família de Abraão, houve uma grave crise entre Sara e uma serva chamada Hagar. Deus havia prometido a Sara um filho. Sara não espera o cumprimento da promessa de Deus, e pede a Abraão que tenha um filho da escrava.  Esta precipitação de sua parte gera mais tarde insegurança e ciúme no coração de Sara contra a Serva. Sara ordena a Abraão que a mande embora com seu filho.

Ao lembrarmos-nos da família de Ana, recordamos dos conflitos que ela enfrentou dentro da sua casa com Penina. Ana era humilhada por não poder ter filhos. Mas, Deus a honra e abre a sua madre.

Todas estas famílias venceram seus conflitos porque estavam firmadas sobre a rocha. E este é o primeiro modelo de família.

2.  O primeiro modelo: A família firmada sobre a rocha

  • “24  Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as pratica será comparado a um homem prudente que edificou a sua casa sobre a rocha;  25  e caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, que não caiu, porque fora edificada sobre a rocha.

Veja o que diz o verso 24: “…edificou a sua casa sobre a rocha…”.  Ele nos fala sobre uma casa firmada sobre a rocha. Este é o nosso primeiro modelo de família. Aquela que está firmada  na rocha.

 

Mas, o que simboliza a rocha? A rocha é símbolo de resistência, de durabilidade, de persistência, de firmeza e de estabilidade. O projeto de Deus para as nossas famílias é que elas tenham as qualidades da rocha, isto é, que elas tenham a resistência, a firmeza, a estabilidade, e a durabilidade.

Para nossa família ter as qualidades da rocha, precisamos firmá-la em Cristo. Precisamos colocar Jesus no centro das nossas decisões. Precisamos colocar Cristo na solução de nossos conflitos e crises.

Por que casamentos acabam, famílias não duram, e não resistem? Porque não estão firmados sobre a rocha, que é Cristo. Veja o que diz a palavra de Deus em Dt 32.3,4 :

3 Porque apregoarei o nome do SENHOR; engrandecei a nosso Deus.

4 Ele é a Rocha, cuja obra é perfeita, porque todos os seus caminhos justos são; Deus é a verdade, e não há nele injustiça; justo e reto é.

Encontramos mais uma informação importante nesta palavra de Mateus 7:24 no verso  25: “…e caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, que não caiu, porque fora edificada sobre a rocha.”

Ao ser exposta ao vento, tempestades, a enchentes,  a casa sobre a rocha continua firme. Assim é a família no projeto de Deus.  Esta família terá momentos de crise, de angústia, e até de dor, mas ficará firme e inabalável, porque o Senhor Deus que está no comando desta família é inabalável e firme.

Olhando hoje para a realidade de sua família, de sua casa, de seus filhos, dos relacionamentos que existem em seu lar, do ambiente de convivência que há em sua casa, você pode concluir que sua família está firmada na rocha?

Lembre-se do que diz o salmo 127:1.: “Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que edificam”.

Vamos ao segundo modelo de família…

3.  O segundo modelo:  A família firmada sobre a areia.

  • 26 E todo aquele que ouve estas minhas palavras e não as pratica será comparado a um homem insensato que edificou a sua casa sobre a areia; 27  e caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, e ela desabou, sendo grande a sua ruína.

ILUSTRAÇÃO. Na Itália existe uma famosa torre, chamada de Torre de Pizza. Ela foi construída sobre um solo instável, como a areia, e por isso começou a ficar inclinada. Os engenheiros tiveram que reforçar as bases dessa torre para que ela não caísse. MORAL. Do mesmo modo que uma torre afunda se estiver firmada sobre a areia há muitas famílias que estão em processo de ruína, e decadência porque não estão firmadas na rocha que é a  palavra do senhor.

Jesus fala no verso 26: “…edificou a sua casa sobre a areia…”.  A areia é o símbolo da incerteza, da inconstância e da instabilidade.

Mas, o que representa essa areia para a família? A areia é a falta de Deus e do perdão, e a ausência da comunhão, da oração, da comunicação, do diálogo, é a intolerância, é o ciúme, é o alcoolismo. Não permita que a sua família seja destruída. Firme-a em Cristo.

4.  Conclusão

Quero relembrar a você a história de Jó. A família de Jó estava destruída. Estava no fundo do poço. Das profundezas da sua angustia, Jó ergueu ao céu dezesseis vezes a pergunta: Por que? Por que estou sofrendo? Por que perdi os meus filhos? Por que minha dor não cessa? Por que o Senhor não me mata? Por que o Senhor não responde as minhas orações?

Jó lança para Deus mais de trinta vezes sua queixa amarga. Abre o seu coração, extravasa a sua dor, espreme as suas feridas e chora as suas magoas. Como resposta as suas perguntas perturbadoras, naquele momento ele só escutou o silencio. Deus não queria falar naquela hora.

A mulher de Jó ficou revoltada com Deus e pediu ao seu marido para amaldiçoá-lo. Os amigos de Jó fizeram-lhe causticas e falsas acusações, dizendo que ele estava sofrendo por causa de seus graves pecados.

Aquela família estava num nevoeiro denso. Estava precisando de um avivamento. Então, do meio das trevas da dor, surge a luz da esperança. Do caos brotou a restauração. Do deserto, uma fonte de esperança começou a jorrar. Deus se revelou a Jó. Mostrou-lhe sua soberania e seu controle sobre todas as coisas. Jó compreendeu que os desígnios de Deus não podem ser frustrados (42.2). O sofrimento de Jó, em vez de endurece-lo, levou-o para mais perto de Deus (42.5,G). Deus converteu em benção toda maldição que o diabo lançou sobre Jó. Tudo o que o diabo tomou de Jó, Deus trouxe de volta.

Deus restaurou os bens de Jó (42.10). Ele ficou o dobro mais rico. Seus negócios prosperaram. Seus empreendimentos deram certo. A benção de Deus o enriqueceu.

Deus restaurou a saúde de Jó (42.1G,17). Deus o curou de todas as suas enfermidades. Ele viveu mais cento e quarenta anos e viu sua descendência se prolongar na terra.

Deus restaurou o seu casamento (42.12,13). Aquela mulher amarga e revoltada foi curada por Deus e eles tiveram uma linda história de amor.

Deus restaurou os filhos de Jó (42.13-1G). Deus lhe deu outros dez filhos. Agora, Jó tem dez filhos no céu e dez filhos na terra. O detalhe e que suas filhas agora são as mulheres mais bonitas do oriente.

Satanás tentou destruir Jó, mas este saiu da crise mais fortalecido, mais rico e mais perto de Deus.

Hoje Deus pode fazer também um milagre na sua vida e na sua família. Se você está vivendo em crise, mas confia em Deus, então, deixe de murmurar, ore e esteja certo de que um milagre está a caminho. Deus quer restaurar as finanças do seu lar. Ele quer salvar os seus filhos. Ele pode curar as suas enfermidades. Ele quer abençoar o seu casamento e reconciliar você com aqueles que o fizeram e ainda o fazem sofrer. Hoje e dia de restauração para o seu lar. Agora é o tempo de buscar um avivamento para a sua família!

 

 

Gostaria de começar com uma estatística acerca da vida familiar, mais especificamente sobre os filhos, realizada em 2008.

- cresce o número de adolescentes que se tornam mães solteiras;

- cresce o número de adolescentes que fazem aborto;

- aumento ano a ano do número de jovens que são portadores de doenças sexualmente transmissíveis;

- aumento, entre os adolescentes, dos usuários de drogas e álcool. No Brasil (dados de 2010): 13% dos consumidores de drogas e álcool estão entre os 10 e 14 anos;

- média de 06 adolescentes (por país) ao ano cometem suicídio;

- aumento do número de divórcios no Brasil ano de 2010 foi de 300%;

- estudo feito no final do século passado em 48 países de todos os continentes revelou o seguinte entre adultos homens que cometem crimes: “a criminalidade entre adultos é maior no grupo em que tais pessoas foram criadas por mulheres sozinhas.”

Alarmante? Isto serve para nos mostrar o quanto é importante o papel, a pessoa e a postura do pai no lar e na vivência familiar. O ensino do salmo 127 desafia a cada pai e mãe a pensar e repensar sua função no lar e na família. As conseqüências serão sentidas pelos membros da família e pela sociedade. É também uma palavra de alerta para quem vive na expectativa errada de ser mãe solteira; do divórcio como alternativo simples e fácil. Nós que somos a Igreja precisamos ser estimulados a manter o padrão bíblico e ter uma ação edificante que minimize os problemas e maximize as oportunidades de formar adultos sadios e equilibrados.
     No coração de quase todo marido e esposa – pai e mãe há uma pergunta inquietante: O que fazer para que meus esforços na criação e manutenção da família não se torne um trabalho inútil ou em vão?

Também, há outras perguntas que assombram as mentes dos pais: Os meus dias futuros serão de alegria e satisfação? Verei com prazer a conduta e as decisões dos meus filhos?
     Penso que o rei Salomão percebeu que tais questionamentos existiam entre seus patrícios em Israel. A sua resposta e ensino está no salmo 127. São as orientações que Deus dá a todo pai e mãe que faz as perguntas acima com temor. Pais que não querem ver o fruto de seu trabalho na formação e construção da família ser qualificado como inútil. Pais que não querem comer o pão amargo das atitudes insensatas e vergonhosas de seus filhos.

© 2010 Todos os direitos reservados.

Crie um site grátisWebnode